Luciana Tavares

Luciana Tavares

São muitas pessoas lutando por uma só causa, pelos mesmos objetivos, e particularmente acho essa união linda.

A sociedade e a escola tem uma parcela de culpa, quando se trata da autoafirmação negra, minha infância e adolescência inteira cresci com vergonha do meu povo, pois a maneira que fui educada fazia que eu me sentisse de tal forma.

Isso ocorre no momento que eles excluem a verdadeira história do negro dos livros e de tudo, e simplesmente nos oprimem e nos deixam sem embasamento algum. Então, depois que cresci e vi a falta de referencia que precisava, eu comecei a busca pela minha identidade, pesquisando e me influenciando com as pessoas do movimento negro.

Como a maioria dos negros passam por situações similares, a luta diária se torna conjunta. São muitas pessoas lutando por uma só causa, pelos mesmos objetivos, e particularmente acho essa união linda.

Como no Brasil, são poucas as referências que temos, acabamos também nos inspirando em pessoas de fora, acredito que esse reconhecimento seja essencial para nossa formação social, de tal forma que podemos nos empoderar, e ajudar a fortalecer essa corrente.

There are many people fighting for a single cause, for the same goals, and I particularly think this is a beautiful union.

Society and school are both guilty when it comes to black self-assertion, my childhood and entire adolescence. I grew up ashamed of my people, for the way I was educated made me feel that way.

This happens when they exclude the true story of the black man from our books and everything we see to simply oppress us and leave us without any foundation. So, after I grew up and saw the lack of reference I needed, I began to search for my identity, researching and influencing people of the black movement.

As most blacks go through similar situations, the daily struggle becomes a joint one. There are many people fighting for a single cause, for the same goals, and I particularly think this is a beautiful union.

In Brazil, we have very few references [of black culture] but we end up inspiring people from outside. I believe that this recognition is essential for our social formation, so that we can empower ourselves, and help strengthen this chain.

Natália Araújo

Natália Araújo

Débora Cunha

Débora Cunha